Por: Luiz Bretzke Junior




Iniciada em 2014, a revisão da norma NBR 6120 – Cargas para o cálculo de estruturas de edificações – foi concluída e publicada pela ABNT no mês de setembro de 2019, a qual se adaptou à engenharia moderna e às necessidades dos engenheiros. A antiga norma de cargas foi publicada em 1980, dispondo de apenas 5 páginas, enquanto que a norma vigente possui 60 páginas, ou seja, a norma foi completamente reestruturada, já que sua antecessora estava obsoleta às práticas atuais da engenharia.

A primeira mudança da norma em questão está na capa, mais especificadamente no título da norma, tratando agora de “Ações” para o cálculo de estruturas, não somente “cargas”. Abrangendo maior variedade de informações, a fim de auxiliar no desenvolvimento de projetos estruturais, as ações estão interligadas às combinações utilizadas para o dimensionamento das edificações. Pela norma vigente atualizada, uma ação tem por definição causar esforços sobre a estrutura, produzir ou alterar as deformações ou o estado de tensão nos elementos estruturais.

Duas entre as definições mais importantes de cargas em estruturas foram modificadas, ações variáveis e permanentes seguem os seguintes conceitos:

  1. Ações Permanentes

Na versão atual da norma, ações permanentes são aquelas que atuam com valores praticamente constantes, ou com pequena variação em torno de sua média durante a vida útil da edificação, diferentemente da norma antiga, a qual sugere que carga permanente é constituída pelo peso próprio, elementos construtivos fixos e instalações permanentes.

  1. Ações Variáveis

Na nova versão da norma, ações variáveis são todas aquelas que apresentam variações significativas no seu valor em torno de sua média durante a vida útil da edificação, diferentemente da norma antiga, a qual denominava as cargas variáveis como acidentais, além de citar que carga acidental é toda aquela que pode atuar sobre a estrutura em função de seu uso.

Com a revisão da norma 6120, alguns carregamentos devem sofrer alterações no que diz respeito às suas definições, ou seja, ações consideradas variáveis podem ser denominadas como permanentes. Esta mudança de conceito faz com que não se tenha mais dúvidas com relação à definição da carga, a qual era motivo de debates entre alguns engenheiros.

Ex.: Os carregamentos providos por painéis fotovoltaicos, obviamente não previstos na versão antiga da norma, vinham sendo comumente adotados como ações variáveis, porém, com a NBR 6120:2019, fica mais sensata a consideração destas ações como permanentes, já que seu peso é constante durante sua vida útil.

Figura 02 – Placas Solares (Divulgação ENVO)

Outras questões importantes revisadas em ações variáveis:

  • Foi adicionada uma tabela indicando carregamento de alvenarias prontas, considerando certa espessura de revestimento por face, o bloco e a argamassa de assentamento vertical e horizontal. Esta tabela será de grande ajuda a todos os engenheiros projetistas, já que facilitará a obtenção destes valores. Além de simplificar a obtenção do carregamento, esta tabela traz valores mais próximos da realidade, levando em consideração espessura de revestimento e outros aspectos já citados;
  • Também foi adicionada uma tabela contendo forças horizontais em guarda-corpos ou barreiras para proteção de pessoas, as quais variam de 0,4 a 5 KN/m, dependendo de sua localização e finalidade;
  • Outra adição importante foi um tópico específico para cargas variáveis em coberturas, as quais serão proporcionais à inclinação do telhado.

 

Ex. 1: Cobertura com 5% de inclinação -> Utilizar Carga de q=0,25 KN/m²

Ex. 2: Cobertura com 1,5% de inclinação -> Utilizar Carga de q=0,5 KN/m²

Ex. 3: Cobertura com 2,5% de inclinação -> Utilizar fórmula para determinar o valor exato a ser considerado:

 

A norma 6120:1980 não mencionava o valor da carga variável a ser considerado em coberturas, assim como a NBR 6118:2014, diferentemente da norma de estruturas de aço, a NBR 8800:2008 cita a utilização de 0,25 KN/m² na ausência de especificações mais rigorosas, independente da inclinação da cobertura, portanto, a norma 6120:2019 está de acordo com a NBR 8800:2008 com coberturas metálicas a partir de 3%.

Figura 03 – Gráfico relacionando a inclinação e a carga em coberturas (ABNT/NBR 6120:2019)

 

  • Foi enriquecida a explicação sobre a redução de cargas variáveis para pilares e fundações de repetidos pavimentos sequenciais de mesmo uso, fazendo com que o item da norma seja autoexplicativo e de fácil entendimento. Após a explicação, foram apresentados alguns exemplos, conforme figura 04.

Figura 04 – Tabela para multiplicador de cargas variáveis (ABNT/NBR 6120:2019)

  • Foi adicionado um tópico na norma para tratar de ações de veículos aplicadas a pilares, sendo que a categoria do veículo definirá tanto os carregamentos (carga distribuída e concentrada) quanto as distâncias de aplicação das forças na estrutura.

Figura 05 – Pilar Genérico com dimensões e indicações para ações de veículos (ABNT/NBR 6120:2019)

Com o objetivo de estabelecer as ações/parâmetros mínimos para o dimensionamento de estruturas de edificações, a revisão da NBR 6120 menciona uma gama maior de carregamentos variáveis e pesos específicos de materiais utilizados na construção. Além desta modificação, foram adicionadas na norma diversas tabelas para auxiliar na determinação das cargas a serem adotadas, tais como revestimentos de pisos, impermeabilização, telhas, enchimentos e tubos de aço cheios d’água.

 

Referências:

PROJETO DE REVISÃO ABNT NBR 6120 – AÇÕES PARA O CÁLCULO DE ESTRUTURAS DE EDIFICAÇÕES FOI ADICIONADO À CONSULTA NACIONAL NESTE MÊS DE AGOSTO. Disponível em: <https://cbic.org.br/inovacao/2018/08/30/projeto-de-revisao-abnt-nbr-6120-acoes-para-o-calculo-de-estruturas-de-edificacoes-foi-adicionado-a-consulta-nacional-neste-mes-de-agosto/>. Acesso em 20 nov. 2019.

NOVA ABNT NBR 6120 SE ADAPTA À VIDA MODERNA. Disponível em: <https://www.cimentoitambe.com.br/nova-abnt-nbr-6120-se-adapta-a-vida-moderna/>. Acesso em 20 nov. 2019.

NBR 6120 - O QUE MUDA NA NOVA REVISÃO? Disponível em: <https://www.linkedin.com/pulse/nbr-6120-o-que-muda-na-nova-revis%C3%A3o-igor-prado-da-silveira> Acesso em 20 nov. 2019.

Energia solar residencial: descubra 10 motivos para investir. Disponível em: <https://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/especial-publicitario/envo/noticia/2019/05/13/energia-solar-residencial-descubra-10-motivos-para-investir.ghtml> Acesso em 23/01/2020.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6120: ações para o cálculo de estruturas de edificações. Rio de Janeiro. 2019.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6120: cargas para o cálculo de estruturas de edificações. Rio de Janeiro. 1980.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6118: Projeto de estruturas de concreto. Rio de Janeiro. 2014.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 8800: Projeto de estruturas de aço e de estruturas mistas de aço e concreto de edifícios. Rio de Janeiro. 2008.